Sarti

Giuseppe Sarti nasceu em Faenza (Itália), em novembro de 1729. Aluno do padre Martini, em Bolonha, foi sucessivamente, organista da catedral de Faenza, diretor de música na corte da Dinamarca e diretor da Ópera Italiana, em Copenhague (1754-1775), diretor do Conservatório de Ospedaletto em Veneza (1775-1779), mestre de capela do Duomo de Milão (1779-1784) e, finalmente e acima de tudo, mestre de capela de Catarina II, em São Petersburgo.
Ao passar por Viena, conheceu Mozart; Este viria a utilizar uma ária da ópera Fra i due litiganti, de Sarti, (Come un agnello) como tema de uma série de variações (KV 460) e viria a introduzir esta mesma ária em Don Giovanni (música durante a ceia do II ato). Na Rússia, Sarti exerceu uma influência notável mediante o seu ensino (fundou uma escola de canto na Ucrânia e um conservatório em São Petersburgo). Apaixonado pela física, inventou um aparelho para medir as freqüências e que lhe serviu para fixar a diapasão da sua orquestra (la3 = 436 períodos/segundo). Sarti morreu em Berlim, em 28 de julho de 1802.
Escreveu 3 missas, 2 oratórios, motetos, um Te Deum em homenagem a Potemkine (com a intervenção de canhões e fogos de artifício), um Requiem para Luís XVI, cerca de 75 óperas, sinfonias, 6 sonatas para piano.