Smetana

Bedrich Smetana nasceu em Litomysl (Rep. Tcheca), a 2 de março de 1824. Admirador de Liszt e Berlioz, estudou piano com Josef Proksch, abrindo sua própria escola em Praga em 1848.
Mas sua vida foi uma seqüência de desgraças, começando com o fracasso da revolução de 1848 que abateu o nacionalista tcheco. Liszt, sempre disposto a ajudar novos talentos, arranjou-lhe em 1856 um cargo no estrangeiro, como regente de Göteborg (Suécia). Em 1859 voltou para a sua terra, mas teve de lutar contra as dificuldades familiares e financeiras e contra as intrigas de rivais.
Só em 1866 foi nomeado diretor de música do Teatro Nacional Tcheco, em Praga. Pouco depois começou a tornar-se surdo e em 1874 teve de demitir-se do cargo. A doença dos ouvidos transformou-se em doença mental e Smetana morreu num manicômio em Praga, a 12 de maio de 1884.
A primeira obra notável de Smetana foi o sombrio Trio para piano em sol menor (1855), escrito depois da morte de seu filhinho. Só em 1866 deu o compositor a medida de seu talento, com a ópera A noiva vendida. É o ponto de partida da música nacional tcheca. Smetana não usou melodias do rico folclore tcheco, mas conseguiu criar melodias no mesmo estilo, que se transformaram depois em canções populares. O libreto parece de opereta, mas a técnica musical da ópera é magistral, às vezes mozartiana.
Não tiveram o mesmo sucesso outras óperas cômicas nem as duas grandes óperas da história nacional, Dalibor (1868) e Libussa (1881). Mas Smetana teve sorte com a música de programa, à maneira de Liszt, para orquestra: o ciclo sinfônico Minha Pátria (1874-1879) é a obra-prima da música nacional tcheca, e a segunda parte do ciclo, O Moldava, conquistou as salas de concerto do mundo inteiro.
Depois, Smetana fez a tentativa inédita de escrever música de programa para quarteto de cordas: o belo Quarteto para cordas em mi menor - Da minha vida (1876), é o primeiro quarteto autobiográfico. E a úco. E a última obra do compositor, o Quarteto em ré menor, é experimento audacioso de notar o mundo caótico do sons da mente de um surdo.
A fama de Smetana ficou, durante a sua vida, limitada à Boêmia. Em 1892, o elenco de Praga representou A noiva vendida em Viena, com sucesso tão grande que a ópera pertence hoje ao repertório internacional. A crítica musical tcheca considera porém, Smetana como o mais nacional dos compositores nacionais.