Instrumentação E Orquestração

 

A distribuição das partes dos fragmentos musicais de acordo com o timbre só foi sistematizada no século XVIII, mas as técnicas de combinação instrumental têm origem nas mais remotas e simples manifestações musicais.

Instrumentação é a arte de combinar as possibilidades dos diferentes instrumentos a fim de definir sua participação numa peça musical executada por qualquer tipo de conjunto instrumental.

O termo orquestração tem sentido mais restrito e se utiliza para descrever a arte da instrumentação no que se refere somente à orquestra sinfônica.

Na instrumentação, as técnicas de arranjos e adaptações contam com uma apurada tradição na música ocidental. Consistem na transcrição de composições para determinados timbres de acordo com as sensações que se pretende evocar e com as limitações quanto à tessitura -- conjunto das notas que determinado instrumento é capaz de emitir com boa qualidade -- dos instrumentos disponíveis.

As normas primitivas de instrumentação, anteriores às grandes orquestras, estabeleciam as funções de cada instrumento a partir de critérios descritivos ou puramente conjunturais adequados à tradição. Assim, os tambores de oração possuem nas culturas africanas um significado religioso, e as flautas simbolizam em várias sociedades orientais a manifestação de entidades espirituais. Em outro contexto, os violinos da época barroca representavam figuras da natureza, e os trombones foram identificados durante séculos com os efeitos sombrios nas obras dramáticas.

Com o decorrer dos séculos, os instrumentos de sopro assumiram um papel mais vigoroso dentro do conjunto, apoiados no brilho e na versatilidade de que os dotaram as técnicas de construção utilizadas nos séculos XVIII e XIX. Nessa época, adquiriram notável relevância os instrumentos de teclado, entre eles o piano, cuja tessitura ampla e excelente potencial como solista e acompanhante o transformaram no elemento mais importante da música no século XIX. O surgimento da música eletrônica, no século XX, representou para a arte da instrumentação o desenvolvimento de um universo sonoro de ilimitadas possibilidades de combinação