A ópera invade a música sacra

Claudio Monteverdi (1567-1643) abre o século com sua ópera homofônica, confiando aos intérpretes elaboradas canções (árias), que interrompiam a ação para ressaltar emoções e sentimentos. Sua primeira ópera foi Orfeu (1607).

Compôs em 1610 as Vesperae Virginis, música sacra com grande acompanhamento instrumental e com solistas, cantando árias dramáticas. Era a introdução, na música sacra, dos modos e meios de expressão da ópera. Desempenhou, com seu estilo suntuoso, um papel muito importante no desenvolvimento de um idioma musical novo e "dramático". Foi ele o primeiro que soube exprimir a tristeza, o desespero, a paixão, o triunfo.

Até a época de Monteverdi, a maior parte da música vocal italiana era governada pelas estritas regras polifônicas.