A fuga e a cantata

A Alemanha protestante não conhecia a verdadeira Renascença: a Reforma e a Guerra tinham-na interrompido. Na arte organística, a fuga é uma tentativa atrasada de recuperar o terreno perdido. Nos kantoreien essa tentativa se manifesta através da cantata.

A cantata é uma poesia de assunto bíblico, posta em música para ser executada na igreja durante ou fora do próprio culto.

Diderik ou Dietrich Buxtehude (1637-1707) foi o melhor compositor luterano do século XVII, exercendo grande influência sobre Bach e outros compositores da Alemanha do Norte. Regia, desde 1673, os famosos concertos das noites de domingo numa igreja em Lübeck, onde ele apresentava suas composições para órgão, côro e orquestra, ouvidas por todos os músicos alemães, inclusive Bach. Suas obras para órgão antecipam as de Bach.

Johann Sebastian Bach (1685-1750), conhecido como o maior organista e um virtuose no cravo e violino, dava pouca importância às modas musicais. Por isso suas composições, ao longo da vida, tornaram-se pouco conhecidas. Os textos que foram escritos para Bach os transformar em cantatas, tentavam exprimir o amor místico ao coração de Jesus, culto que a Igreja luterana do século XVII ainda não tinha abandonado. Ele usava o órgão como recurso da polifonia. Em suas obras organísticas realizava-se a ambição da época barroca: a conquista do espaço pela música. Na maioria das cantatas sacras, a melodia coral é utilizada como um tema básico que unifica o trabalho. Suas cantatas seculares foram compostas para festividades públicas e privadas e usam textos mitológicos ou alegóricos. Escreveu, também, uma missa católica, a Missa em sí menor (1733-1738), uma coleção de grandes cantatas que interpretam o texto litúrgico latino, mas tem inspiração protestante. As paixões são espécies de oratórios que se baseiam no texto evangélico da Paixão de Cristo: dramas religiosos encenados num palco sem cenários, com coros, recitativos, árias e corais, e com o texto evangélico lido em recitativo por um narrador; e com grande orquestra.