Compositores passam a servir a corte, a aristocracia e a Igreja

Além desse restabelecimento da ordem tonal, o século XVIII é marcado por outra mudança: os compositores passaram a ser servidores públicos, servindo a corte, a aristocracia, a Igreja. A arte musical tornou-se estritamente funcional. O objetivo era, apenas, a execução ou a representação de uma obra. Por isso a grande maioria das composições do século nunca foi publicada, impressa; caiu, depois da execução, no esquecimento.