Citações de Músicos 2



No fundo, nasci para o claustro, mas o género de convento que seria necessário para mim não existe.

Johannes Brahms (n. Hamburgo 1833; m. Viena 1897)



Como um homem que ama apaixonadamente a vida (apesar de todas as suas calamidades) e que odeia a morte com a mesma paixão, estremeço sempre que morre uma criatura que eu conhecia e amava. A morte nunca aparece tão abominavelmente insuportável e absusrda como quuando é uma criança que morre, amada, encantadora, saudável.

Piotr Tchaikovsky (n. Votkinsk 1840; m. Sampetersburgo 1893)



A minha ideia é que há música no ar, há música à nossa volta, o mundo está cheio de música e cada um tira para si simplesmente aquela de que precisa.

Edward Elgar (n. 1857; m. 1934)



Quando estou um dia sem estudar, dou logo por isso; dois dias sem trabalhar e os meus amigos apercebem-se do facto; três dias e é o público que nota.

 Arthur Rubinstein (n. Lodz 1887; m. Genebra 1982)



Tudo está escrito numa partitura, excepto o essencial.

Gustav Mahler (n. Kalist 1860; m. Viena 1911)



Houve e há, apesar das desordens que a civilização traz, pequenos povos encantadores que aprendem música tão naturalmente como se aprende a respirar. O seu conservatório é o ritmo eterno do mar, o vento nas folhas e mil pequenos ruídos que escutaram com atenção, sem jamais terem lido despóticos tratados.

Claude Débussy (n. Saint Germain-en-Laye 1862; m. Paris 1918)



Resolvemos, de acordo com a nossa consciência e confiando na misericórdia de Deus, edificar na metrópole desta nação franca que, durante tantos séculos, ostentou o título de Filha Dilecta da Igreja, um Templo digno do Salvador, director e redentor dos povos; faremos dele o refúgio onde a catolicidade e as Artes, que lhe estão indissociavelmente ligadas, crescerão e prosperarão resguardadas de toda a profanação e na completa expansão da sua pureza que os esforços do Maligno não conseguiriam manchar.

Erik Satie (n. Honfleur 1866; m. Paris 1925)



A música nasceu livre, o seu destino é libertar-se.

Ferruccio Benvenuto Busoni (n. Empoli 1866; m. Berlim 1924)



O mundo é uma sumptuosa sinfonia
de mil vozes diversas.

As verdades terrestres,

consonantes com as verdades dos céus

soam em acordes cerrados e vibrantes

sobre as cordas dos milagres destruídos

Aleksandr Nikolaïevitch Scriabine (n. Moscovo 1872; m. Moscovo 1915)



A vocação? Agradeço a Deus ter-me dado este presente. Sem ele, nada sou.

Sergei Rachmaninov (Semionovo 1873; m. Beverly Hills 1943)



A música expulsa o ódio dos que vivem sem amor. Dá paz aos que não têm descanso e consola os que choram. Os que se perderam ecnontram novos caminhos, e os que tudo rejeitam reencontram confiança e esperança.

 Pablo Casals (n. Vendrell 1876; m. Rio Piedras, Porto Rico 1973)



A faculdade de criar nunca nos é dada sozinha. Ela anda sempre acompanhada do dom da observação.

Igor Stravinsky (n. Ornienbaum 1882; n. Nova Iorque 1971)



A minha ideia pessoal, de que tenho plena conciência desde que sou compositor, é a fraternização de todos os povos, não obstante todas as guerras e querelas. Tento, conforme as capacidades mo permitem, servir esta ideia na minha música; é por isso que não me fecho a qualquer influência, venha ela de fonte eslovaca, romena, árabe ou outra qualquer.

Bela Bartok (n. Nagyszentmiklós 1881; m. Nova Iorque 1945)



Considero minhas obras como cartas que escrevi à posteridade, sem esperar resposta.

Heitor Villa-Lobos (n. Rio de Janeiro 1887; Rio de Janeiro 1959)



 Anterior                                                                               Próxima