Canto Bruto Conjunto Vocal

O objetivo do Canto Bruto Conjunto Vocal, uma base de três cantores a que se podem agregar instrumentistas e outros colaboradores, dependendo sempre das características do repertório selecionado, é proporcionar ao seu auditório uma compreensão ampla da experiência emocional que pode encerrar a música do nosso passado, colocando em valor elementos dos textos que se cantam, os intervalos e dissonâncias mais expressivas.

Com direção artística assinada por André Tavares, a atenção do grupo está voltada não apenas para a música ibero-americana, mas, também, para a música italiana do século XVII ou o repertório inglês e francês do mesmo período. Seus integrantes participam de vários outros grupos em São Paulo, como o “Lira de Orfeu”, dedicado à interpretação de modinhas luso-brasileiras e o
“Camena”, voltado essencialmente à música de Monteverdi e do seiscento italiano ou o “Americantiga”, com repertório português, italiano e brasileiro do século XVIII.

Nesta ocasião, o “Canto Bruto Conjunto Vocal” conta com a participação de Guilherme de Camargo, que toca guitarra barroca e outros instrumentos de cordas dedilhadas, além de Luiz A. Ramoska, fagotista que já atuou como solista junto às orquestras “L"Estro Armonico” e “Orquestra Sinfônica Juvenil do Estado de São Paulo” durante o “Encontro Latino Americano de Orquestras Juvenis, Regentes e Compositores”, realizado em La Plata e Buenos Aires, Argentina.