Citrus Singers

O coral foi criado no outono de 1968 por Ben D. Bollinger e, em um curto espaço de tempo, obteve reconhecimento nacional e internacional. Sob a liderança de Mr. Bollinger, este grupo de elite ganhou numerosas competições corais, incluindo o prestigioso International Choral Festival em Spittal, Áustria. Este feito, somado a reputação de Mr. Bollinger como maestro de estatura internacional, deu ao The Citrus Singers acesso a alguns dos maiores jovens talentos do país, ano após ano, mantendo uma consistente excelência.

Mr. Bollinger também se orgulha da notável erudição, cidadania e profissionalismo que os membros do grupo mantém. Em uma época em que o financiamento da atividade artística está em perigo, Mr. Bollinger e o Citrus Singers proporcionaram a oportunidade para um grupo exemplar de jovens de florescer e alcançar a liderança na indústria da música. De fato, muitos de seus antigos membros abraçaram carreiras na Broadway, como artistas de estúdio, e como educadores musicais.

Mr. Bollinger iniciou uma tradição em 1970 quando o Citrus Singers fez sua primeira turnê Havaiana. Desde então, voltaram várias vezes ao Havaí, e empreenderam muitas outras apresentações nacionais e internacionais. Foram convidados a se apresentar em locais que incluem a Glinka Capella, em São Petersburgo, Rússia; a American Choral Director"s Convention, em Kansas City, Missouri; o Vienna Symposium para notáveis coros internacionais; a abertura do Museum of Maritime Science no Japão; o Riebeld Festival na Dinamarca; o Midnight Sun Choral Festival em Tromso, Noruega.

Além disso, o Citrus Singers interpretou o Réquiem de Brahms com a London Philharmonic Orchestra; apresentou-se com a British Chamber Orchestra sob a direção de Helmuth Rilling; abriu a Rose Parade; se apresentou no Super Bowl XII; e fez turnê em países como França, Itália, Polônia, Áustria, Iugoslávia, Tchecoslováquia, Hungria, Espanha, Dinamarca, Noruega e Grã Bretanha, entre outros.