Coral de Petrópolis

Ao longo de sua existência, o Coral de Petrópolis viveu com o público alguns dos mais emocionantes e grandes momentos da música clássica que marcaram a nossa história contemporânea.

Participou de todos os concertos do Projeto Aquarius como, por exemplo, o da comemoração dos 100 anos de Copacabana, com a Orquestra Sinfônica Brasileira, sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Vale ainda destacar o concerto em homenagem a Mozart, Händel, Vivaldi e Bach, em 1991, no Palácio do Catete, sob a regência do uruguaio León Halegua; o concerto Mozart 200 anos, também em 91, que obteve um recorde de público ao ar livre: 200 mil pessoas; a Sinfonia dos Dois Mundos, com música de Pierre Kalin e texto de Dom Hélder Câmara; concerto George Martin e os Beatles, na Quinta da Boa Vista, sob a regência de George Martin; Concerto para um Presidente, homenageando o presidente Fernando Henrique Cardoso, no Palácio do Quitandinha, em Petrópolis, em 1996, dentre outros.

Em 1997, o realizou uma turnê pelo Chile, apresentando-se em nove cidades, entre elas Santiago, La Cisterna, Talca e Linares. No mesmo ano, foi convidado pela Banda Sinfônica da Polícia Militar do Rio de Janeiro para cantar no aniversário da corporação. Em maio de 1998, apresentou-se com a mesma Banda Sinfônica no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, tendo, ao final do ano, apresentando a Grande Missa em Dó Menor de Mozart, sob a regência de Armando Prazeres, com grande sucesso.

O Coral de Petrópolis é uma entidade sem fins lucrativos, de objetivos culturais, que tem dedicado toda a sua existência ao ideal de divulgar a riqueza da boa música a todas as camadas da população.

Sob a direção do maestro Júlio Siqueira, o grupo conta com a colaboração dos ensaiadores: Elizabeth Magalhães Braz, Gisela Seabra da Cruz e Valéria Lima N. Fernandes.