Grupo Vocal Coro e Osso

O Grupo Vocal Coro e Osso nasceu em outubro de 1990 na cidade de Matão - SP. É formado por pessoas de diferentes áreas profissionais que se reuniram em torno da paixão pela música e pelo comum interesse na música vocal.

Nesses anos todos o objetivo tem sido a pesquisa do canto coral em diversas épocas, países, estilos, possibilidades fonéticas e até mesmo visuais através de experimentações cenográficas.

Em 12 anos de história, foram muitas as apresentações do Grupo Vocal Coro e Osso. O primeiro espetáculo elaborado pelo grupo foi "Palco", em 1993.
Em 1994, o grupo desenvolveu um trabalho de vivência musical com a cantora e compositora Alzira Espíndola.
Ainda em 1994, o grupo abriu o espetáculo e cantou junto com Cida Moreira no palco do Pantheon, em Matão.
"Tristeza não" foi montado e apresentado de 1995 a 1997.

Em 1998, foi a vez de "Os Dois Lados Da Janela": um espetáculo vibrante e bem humorado, cujo tema seguia a onda dos 500 anos de colonização do Brasil. Com esse espetáculo o Coro e Osso realizou várias apresentações pelo estado de São Paulo, em turnê pelos "campi" da Unesp.

O grupo desenvolveu, também, um trabalho definido como "Concertos didáticos", visando mostrar a riqueza da música vocal em forma de aula-espetáculo, apresentando-se nas mais variadas instituições, principalmente em escolas.

Buscando sempre o aprimoramento das técnicas vocal e de interpretação, o grupo realizou, em 1999, em parceria com o Projeto Canto Coral, uma oficina com a cantora e compositora Madalena Bernardes.

Em suas andanças, já se apresentou nos teatros municipais de Araraquara, Rio Claro, Jaú e Botucatu, Sesc São Carlos, Sesc Ribeirão Preto, Sesc Araraquara, UFSCar, Teatro Bassano Vaccarini e Teatro Pedro II - Ribeirão Preto e Memorial da América Latina, entre outros.

Seu diretor artístico e maestro é Luiz Piquera.

Em julho de 2002 o grupo lançou seu 1º CD: "ALIÁS - Grupo Vocal Coro e Osso canta Djavan".

"É com o maior prazer que recomendo: ouça o coro “coro e osso”! “Aliás”, um jeito gostoso e competente de cantar os arranjos tão lindos do regente Luiz Piquera. Parabéns!" - SAMUEL KERR

"... quero sinceramente dizer que gostei muito
do seu trabalho e do grupo. Sensível, delicado e de extremo bom gosto. Desejo toda sorte do mundo." -
ALEXANDRE ZILAHI