Habeas Vox

Habeas Vox

Habeas Vox é um novo quarteto vocal que surge em 2003, formado por Grace de Castro, Elisabeth Ganter, Antônio Pedro de Almeida e Sérgio Villela. Trabalhando sob a orientação do Maestro Rigoberto de Moraes, faz sua estréia em abril deste ano, com o Oratório “Stabat Mater” de Giovanni Battista Pergolesi na Capela Magdalena, sob a regência do Maestro Roberto de Regina.

Em dezembro de 2001, este grupo iniciou suas atividades musicais com a “Cantata 142” de Johann Sebastian Bach. Em 2002, apresentou o "Glória" de Antonio Vivaldi, o “Réquiem” K.626 para Solistas e Coro de Wolfgang Amadeus Mozart e o "Oratório de Natal" de C. Saint-Saëns, juntamente com o “Coral Guanabara”, composto por 47 participantes, sob regência do Maestro João Genúncio, em uma série de concertos apresentados em diversas salas e igrejas do Rio de Janeiro.

objetivo principal deste quarteto vocal é a realização de peças do repertório camerístico que incluem obras desde a música renascentista, barroca, clássica, romântica, até a música contemporânea. Em sua programação para este ano de 2003, constam também a Missa em Sol de Franz Schubert, a Grande Missa em Dó de Joseph Rheinberger e o Oratório “Messias” de Georg F. Haendel.

  • Grace de Castro – soprano

Iniciou sua carreira musical como pianista e educadora. Musicoterapeuta formada pelo Conservatório Brasileiro de Música, em 1995 iniciou seus estudos de canto com a professora Semita Walenka. Em 1997, ingressou no curso de bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, graduando-se. Atualmente está cursando o mestrado. Como solista participou de vários corais (inclusive no Internationaler Chorwettbewert, em Frankfurt); de recitais em diversas salas (em Niterói, Volta Redonda, Rio de Janeiro, Juiz de Fora, dentre outras cidades); de concertos com diversas orquestras, tais como Rio Camerata (sob a regência do maestro Israel Menezes), ORSEM; UFRJazz; da peça teatral "Viagem ao Centro da Terra", produzida por Marcelo Serrado; da ópera "La Púrpura de La Rosa", montagem de Marcelo Fagerlande; "Volta do Estrangeiro", ópera de Félix Mendelssohn, sob a regência do mestro Ernani Aguiar; "Don Pasquale", de Gaetano Donizetti, sob a regência do mestro André Cardoso e direção de Diva Pieranti.

Em 2002, participou das comemorações do aniversário do Theatro Municipal do Rio de Janeiro como artista convidada, cantando excertos de "Don Pasquale". Constam de seu repertório camerístico: "Requiem", de Mozart; "Gloria", de Vivaldi; "Oratório de Natal", de Camille Saint-Saëns; algumas cantatas de Bach; além de obras de compositores brasileiros, inclusive contemporâneos. Além da carreira solo, vem se dedicando à preparação técnico-vocal do Coro de Câmara do Centro de Pesquisas da Petrobrás - CENPES.

  • Elisabeth Ganter – contralto

Professora e cantora lírica. Nascida em Köln, na Alemanha, começou seus estudos musicais aos sete anos, quando chegou ao Brasil, com Maria Schmidt, juntamente com interpretação teatral, ballet folclórico e clássico. Cantora precoce, desde pequena já cantava como solista em peças teatrais, coros e igrejas.

Freqüentou o curso de “Canto Lírico e Interpretação” na classe da maestrina Semita Valenka na Escola Nacional de Música do Rio de Janeiro, UFRJ. Foi aluna de interpretação do maestro austríaco Frederico Egger, com quem trabalhou repertório de Lied alemão, peças sacras e oratórios. Dando continuidade aos seus estudos, durante dois anos fez seu aperfeiçoamento técnico vocal em Viena com o grande tenor russo Simon Baddy, membro da ópera de Kiev e do Teatro Bolshoi de Moscou.

Retornando ao Brasil, dedicou-se ao repertório camerístico de canções eruditas e populares de vários compositores, também criando e produzindo novos projetos para a divulgação da obra destes autores. Entre as apresentações que tem feito, destaca-se a criação e a atuação na Cia. de Arte Flammeum que apresenta o espetáculo de canto e baile espanhol Cantares Populares, um concerto histórico em comemoração ao centenário de nascimento do poeta e dramaturgo Federico García Lorca. Integra o “Trio d"Amore” juntamente com barítono Marcelo Coutinho e a pianista Sonia Maria Vieira. Vem se apresentando em recitais, concertos, igrejas e espaços culturais.

  • Antônio Pedro de Almeida – Tenor

Natural do Rio de Janeiro, concluiu o curso de piano na Academia de Música Lorenzo Fernandes e o bacharelado em canto na UFRJ, na classe do professor Inácio de Nonno. No repertório operístico, atuou em "Dido e Eneas" (Sailor); em "Der Freischültz" (Max), de Weber; "Colombo" (D. Ramiro), de Carlos Gomes; "Heimker der Fremde" (Hermann), de Felix Mendelssohn; "Turandot" (Pang), de Puccini (temporada de 2002 do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, regência de Silvio Barbato).

No repertório camerístico, constam: Cantata 147, de Bach; Cantata Wie Schön Leuchet der Morgenstern, de Bach; Oratório Vidapura de Villa-Lobos; Novena de S. Pedro de Alcântara, de Pe. José Maurício; Stabat Mater, de Reinberg. Em 2001. tomou parte da Nona Sinfonia de Beethoven em Mendonza Argentina (Orquestra Sinfônica Uncuyo, sob regência de Lígia Amadio).

  • Sérgio Villela – Barítono

Natural do Rio de Janeiro, iniciou seus estudos de técnica vocal com o prof. José de Giaccomo. Aperfeiçoou-se no canto e interpretação da música barroca sob a orientação do prof. Gerard Galloway. Em sua carreira como cantor lírico, iniciada em 1979, constam obras como O Messias de Haendel; Paixão Segundo São Mateus, de Bach; Stabat Mater de Pergolesi; Missa em Sol, de Schubert, Requiem e Missa dos Pardais, de Mozart, Missa Lord Nelson de Haydn; In MOnte Olivetti, de Beethoven, Missa Pequena e Matinas de Natal do Pe. José Maurício; Oratório de Natal, de Saint-Saëns; Requiem, de Fauré; Carmina Burana, de C. Orff; Missa Vidapura, de Villa-Lobos; Cantata de Natal, de Ernani Aguiar e Missa Mater Dolorum, de Armando Prazeres, dentre outras.

Atuou em Rigoletto de Verdi (Conde Monterone), Carmen, de Bizet (Morales) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro; O Elixir do Amor, de Donizetti (Belcore); Fausto, de Gounod (Valentin); Os Pescadores de Pérolas, de Bizet (Zurga); Der Freischütz, de Weber (Caspar); Dido e Eneas, de Purcell (Eneas) e Orfeu, de Monteverdi (Orfeu); cantando sob a regência de maestros como Lionel Friend, Fernando Malheiro, Roberto Duarte, Ernani Aguiar, André Cardoso e Nilo Rack. Além da carreira como solista, atua como preparador vocal do Coral Guanabara.