Americantiga

Americantiga é um grupo vocal e instrumental voltado para a interpretação de música colonial brasileira e música antiga em geral, utilizando cantores e instrumentistas especializados na interpretação “de época” ou “historicamente informada”.

O Américantiga é o principal grupo com estas características em atividade em São Paulo e um dos únicos do Brasil.

Criado em 1995, o AMERICANTIGA - Coro e Orquestra de Câmara tem desenvolvido um trabalho de pesquisa, restauração e divulgação do repertório brasileiro e hispano-americano do século XVIII, e das correntes estilísticas que tenham influenciado, direta ou indiretamente, a produção musical do continente, como a Península Ibérica e Itália. Desde sua criação, tem participado dos principais eventos de música antiga realizados no país, dentre eles:

- Oficina de Música de Curitiba(1996);

- VII Festival de Música Colonial e Música Antiga Juiz de Fora – MG(1997);

- I Festival Internacional de Música Antiga e Tradição Oral – Curitiba(1997);

- II Festival Internacional de Música Antiga e Tradição Oral – Curitiba(1998).

Em São Paulo, durante o ano de 2000, realizou importantes concertos de música barroca européia, hispano-americana e classicismo brasileiro. Entre eles:

- G. F. Handel (1685-1750) - Dixit Dominus (1707) para coro a 5 vozes, solistas e orquestra;

- Francesco Durante (1684-1755) – Magnificat em si bemol (estréia contemporânea).

Em 2002, em parceria com vários apoiadores culturais como os Mosteiros de São Bento e da Luz, da Rádio Cultura FM/Fundação Padre Anchieta e da Associação Viva o Centro, realizou a I Temporada Américantiga de Concertos.

“ ... um dos melhores grupos de música antiga do país ... “ - Revista Concerto – Dezembro de 2002

“ Bernardes é um regente curitibano radicado em São Paulo de apenas 26 anos, com credenciais importantes na área de musica antiga.” - Folha de São Paulo – 17 de outubro de 2002

“Dentre os grupos que se têm dedicado à música colonial brasileira, o AMERICANTIGA se destaca por aplicar a este repertório, com clarividência e critério, as conquistas e descobertas interpretativas e musicológicas da assim chamada escola de “música de época". Mais do que a qualidade rara e excepcional das jovens vozes, o AMERICANTIGA conquista pela maneira criteriosa e séria pela qual estão postas a serviço de um repertório ainda carente de ser descoberto e, principalmente, compreendido. Todas as escolhas de interpretação estão baseadas em pesquisa musicológica de extrema erudição e acuidade, com as vaidades pessoais cedendo lugar ao rigor e precisão”. -
Irineu Franco Perpetuo - Colaborador do jornal “Folha de S. Paulo”, da revista “Bravo!” e correspondente no Brasil da revista “Ópera Actual” (Barcelona)