Balthazar Newmann Ensemble

Balthasar Neumann Ensemble é constituído por excelentes músicos oriundos de vários países. Sob a direção artística de Thomas Hengelbrock, o Ensemble conquistou o reconhecimento da crítica e do público nos últimos anos. A crítica o considera um dos conjuntos barrocos mais importantes, ressaltando suas intensidade e expressividade extraordinárias.

“Não me lembro de ter ouvido Don Giovanni de Mozart tocado com tal intensidade e precisão, sem deixar de ser delicado e suave: cores vivas e intensas. Nunca havia ouvido nada igual. Pelo menos não em instrumentos antigos" - Stuttgarter Nachrichten

O repertório vai do início do barroco à música contemporânea, sempre interpretado em instrumentos pertinentes a cada época. Todavia, o conjunto tem especial interesse pelas obras dos séculos XVII e XVIII.

A orquestra estreou com muito sucesso em 1995 em Innsbruck com a ópera de Alessandro Scarlatti Il Mitridate Eupatore, reapresentada em 1996 no Festival de Schwetzingen. Desde então o Balthasar Neumann Ensemble tem sido o “Ensemble in Residence” do Festival de Schwetzingen.

Coproduziram a ópera La Didone de Francesco Cavalli com a Staatsoper Unter den Linden e apresentaram La Divisione del Mondo de Giovanni Legrenzi no festival austríaco Innsbrucker Festwochen. Várias produções surgiram a partir de uma estreita cooperação com o diretor Achim Freyer, como L"Anima del Filosofo de Haydn e a Flauta Mágica de Mozart em 2002 sob a direção Thomas Hengelbrock. Para 2005 prepararam a ópera Telemaco de Alessandro Scarlatti apresentada em Schwetzingen.

Um das particularidades do grupo alemão está na enérgica musicalidade de cada um dos seus participantes, já testada diversas vezes, como por exemplo com a ópera L"Orfeo de Monteverdi apresentada no Wiener Festwochen, ou com a encenação do “Italienische Karnevalsmusikenno” na qual o conjunto interpreta cenas de carnaval no palco.

Orquestra e Coro Balthasar Neumann trabalham muito em conjunto. Em 2001, passaram por famosos festivais da temporada de verão com a Criação de Haydn, e em 2002 realizaram uma turnê com a Missa em si bemol de Bach. Desde 1998, a rádio Südwestrundfunk retransmite uma série que inclui coro e orquestra, através do lema Música de Aventura os ouvintes "viajam" explorando os séculos XVll e XVlll. Nesta série temos, por exemplo, o projeto From Music Library de J. S. Bach que oferece peças de grande raridade de Bach, abrindo nossos horizontes para um novo conceito sobre a obra do grande compositor alemão no que diz respeito à sua relação com as demais obras de sua época. Nos últimos anos apresentaram composições desconhecidas de G. Ph. Telemann.

Em 2002, sob a direção de Daniel Sepec o Balthasar Neumann Ensemble apresentou um programa com cenas de óperas italianas, além de ter feito uma turnê com as Quatro Estações de Vivaldi. Pela primeira vez o conjunto comissionou uma obra a Johannes Harneit que compos três intermezzi para as Estações de Vivaldi, cuja primeira audição aconteceu no Festival de Feldkirch. Como "ensemble in residence" no Festival de Feldkirch, apresentaram L"Orfeo de Monteverdi e Manfred de Schumann sob a regência de Thomas Hengelbrock.

Em 2003, coro e conjunto se fizeram ouvir em Feldkirch com a Missa solemnis de Beethoven, o Messias de Händel, além de ter criado o melodrama King of the Night de Jan Müller-Wieland, tendo Klaus Maria Brandauer como orador. King Arthur de Purcell foi apresentado na Trienal de Ruhr e, em 2004, no Festspielhaus Baden-Baden. Em 2004, obtiveram grande êxito com Rigoletto de Verdi interpretado em instrumentos históricos sob regência de Thomas Hengelbrock.

Em 2005, coro e conjunto Balthasar Neumann fazem sua estréia na Opéra National de Paris sob regência de Thomas Hengelbrock com Orphée et Euridice de Gluck e coreografia de Pina Bausch.

Balthasar Neumann (1687–1753), a quem a orquestra empresta o nome, foi um dos mais importantes arquitetos alemães do barroco e construtor das residências de Würzburg e Schönbornslust assim como da igreja de Wallfahrt Vierzehnheiligen.

Setembro de 2005.