Capella della Pietà de Turchini

Criado pelo regente e pesquisador Antonio Florio em 1987 e sediado em Nápoles, o grupo Cappella della Pietà de Turchini reúne instrumentistas e cantores especializados na interpretação do repertório musical dos séculos XVI, XVII e XVIII e tem trazido de volta à luz compositores notáveis, como Provenzale, Trabaci, Veneziano, Nola, Netti, Caresana e Sabino. A originalidade de seus programas, o apurado sentido de estilo, a qualidade dramático-musical dos intérpretes e o respeito pela execução barroca fizeram da Cappella uma das jóias da vida musical italiana e européia.

Desde a criação do conjunto, os instrumentistas e cantores-atores da Cappella della Pietà de Turchini, liderados por Antonio Florio, seu Diretor Artístico e Regente, vêm conquistando o público e a crítica de quase todas as cidades importantes da Europa, têm sido convidados para participar regularmente dos mais destacados festivais europeus de música e gravaram extensa e premiada discografia.

Não é por acaso que o conjunto musical Cappella della Pietà de Turchini recebeu o nome de um dos mais antigos conservatórios daquela cidade, mas sim pelo propósito de dedicar-se à pesquisa e execução do repertório napolitano dos séculos XVI, XVII e XVIII, época em que foram compostas obras que fizeram do Barroco uma verdadeira idade do ouro para a música do país.

O respeito e o rigor com que o conjunto pratica as partituras do período Barroco, o repertório diferenciado que possui e a qualidade dramático-musical de seus intérpretes levaram-no a ser reconhecido internacionalmente como um dos mais importantes em seu gênero. Desde a sua criação a Cappella desenvolveu intensa atividade e veio apresentando-se em festivais de relevância dentre os quais destacamos o Festival Monteverdiano de Cremona, Festival de Versailles, Festival de Nancy, Nantes, Metz, Lisboa, Marcelha, Festival de Outono de Madri, Festival de Música Antiga de Tel Aviv e Festival de Saint Denis.

A Cappella della Pietà de Turquini realiza turnês pela Europa e América do Sul, além de apresentar-se regularmente em prestigiosas salas como a Accademia Filarmonica Romana, a Accademia di Santa Cecília de Roma, o teatro da Cité de la Musique de Paris, a sala da Fundación La Caixa e o Palau de la Musica, de Barcelona, a Konzerthaus de Viena, o Théâtre de La Monnaie de Bruxelas e a sede Filarmônica de Berlim, para citar algumas.

É particularmente intensa a produção discográfica do conjunto que gravou CDs pelo selo Symphonia, dedicados ao repertório barroco até então inédito, como também pela etiqueta Opus 111 de Paris, com a qual gravou a coletânea Tesori di Napoli, gravações que lhe renderam o Prêmio Vivaldi da Fundação Cini di Veneza, o Prêmio Franco Abbiati da Associação Nacional de Crítica Musical e o Diapazon d"Or.

Sobre a música do conjunto a crítica européia escreveu:

“O conjunto de Antonio Florio nos restitui alegrias esquecidas pelo senso de cena que surge mesmo tratando-se de gravações, tal é o temperamento cênico dos solistas e da Cappella della Pietà de Turchini” – Jornal Le Monde

“É inegável que este repertório (...) que redescobrimos graças a Florio, não deixou Mozart indiferente” – Revista Diapason.