Ensemble Turicum

O Ensemble Turicum, fundado em 1990 pelo contratenor brasileiro Luiz Alves da Silva em Zurique (Suíça), consagra a sua atividade à redescoberta e interpretação, com a maior autenticidade possível, da música de câmara e coral da época barroca, executada com
instrumentos da época.

Seus membros tem se apresentado com famosos e consagrados cojuntos barrocos de renome internacional, como o Hesperion XX, Capella Real Barcelona, Clemencic Consort Wien, Follia Madrid e Ensemble 415 Geneve.

Em sua formação básica, é composto por um quarteto de cordas, um instrumento de baixo contínuo e um cantor solista. Entre as suas muitas apresentações, destacam-se uma tournée pela Alemanha em 1990, com a música vocal de Antonio Vivaldi, por ocasião
do 250º aniversário de sua morte; uma apresentação do Stabat Mater de Pergolesi, com a soprano espanhola Isabel Rey e a apresentação de obras escolhidas de mestres barrocos menos conhecidos, como Christian Geist, Francisco Viñas, Domenico Gherardeschi e outros.

Em 1994, gravou o primeiro CD dedicado à música barroca brasileira: Baroque Music from 18th Century Brazil, com músicas de Luiz Álvares Pinto, José Joaquim Emerico Lôbo de Mesquita, Marcos Coelho Neto e do padre José Mauricio Nunes Garcia, pela gravadora suíça Claves.

Em 1997, veio à luz, também pela Claves, o Volume II, dedicado exclusivamente ao mestre mineiro Manoel Dias de Oliveira, cuja interpretação foi muito elogiado pela crítica francesa e a americana.

E finalmente, em Novembro de 1999, foi gravado um CD com a Missa Pastoril (CPM 108), os salmos Laudate Pueri Dominum (CPM 77) e Laudate Dominum (CPM 76), e os graduais Dies Sanctificatus (CPM 130) e Justus cum Ceciderit (Gradual de São Sebastião, CPM 143), todas do padre José Maurício Nunes Garcia, pela gravadora francesa K 617.

Apresentada em Janeiro de 2000 no Petit Palais de Paris, por ocasião da exposição Brésil Baroque - Entre le Ciel et la Terre, a interpretação foi muito elogiada pela revista Diapason, que no entanto torceu o nariz para a música do padre mestre. Típico caso de eurocentrismo narcisista.