Symphonia Brasil Barroco

A Symphonia Brasil Barroco é formada por instrumentos concertantes, podendo contar com vozes solistas. Tem no repertório principal a música setecentista, com destaque à música do "Barroco Mineiro", o repertório de música barroca hispana-americana e ítalo-Ibérica do mesmo período.

Em seus programas, a Symphonia Brasil Barroco mostra uma panorama de estilos do período 1700, destacando-se a obra do Pe. José Mauricio Nunes Garcia. Dos mineiros, destaca-se Lobo de Mesquita, Manuel Dias de Oliveira, Coelho Netto, entre outros. Dos austríacos Haydn, Fux, Dittersdorf, dos italianos, Vivaldi, Marcello e Zípoli e dos portugueses, Carlos Seixas, Antônio Teixeira e outros.

Criado em 1987, é formada por instrumentos de cordas, sopros e órgão. O termo “symphonia” refere-se ao “estilo concertato” das obras orquestrais e corais do período setecentista no Brasil.

Tem se apresentado nos principais Centros de Cultura no Brasil como CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil, RJ; UFRJ; UNI-RIO, Paço Imperial, RJ; Teatro Municipal de Ouro Preto, MG; Festival de Música Antiga de Juíz de Fora, MG; nas Igrejas de São Francisco, Nsa Sra da Glória do Outeiro do RJ; Nsa Sra do Carmo da Lapa, RJ; em Portugal no Teatro Nacional de São Carlos - Lisboa; Palácio Queluz; Igreja de São Francisco na Cidade do Porto além de concertos no Brasil em espaços culturais diversos. Participou de programas na Rádio Jornal do Brasil; Rádio Catedral - RJ; Rádio Mec e TVE no Rio de Janeiro com gravações ao vivo de entrevistas e concertos

Atualmente a “Symphonia Brasil Barroco” integra-se à Igreja de Nsa. Sra. do Carmo da Lapa no Rio de Janeiro.