Ensemble Orchestral do Brasil

A Ensemble Orquestral do Brasil é a mais recente novidade em nosso cenário musical.

Constituída de alguns dos mais destacados musicistas em atividade atualmente, a orquestra tem uma formação flexível, compatível com a versatilidade de seu repertório - pode tanto se apresentar apenas como uma orquestra de cordas, como ganhar o corpo de uma sinfonietta, com o acréscimo de instrumentos de sopros.

Seu repertório vai do barroco à música contemporânea, incluindo em seus programas repertório brasileiro.

Seu regente e diretor musical é Claudio Cruz, um dos violinistas mais elogiados e premiados do Brasil.

Claudio Cruz exerce atualmente o cargo de Regente Titular da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto e de primeiro violino do Quarteto Amazônia, recém premiado com o Grammy Latino na categoria "música clássica" e o Prêmio Carlos Gomes na categoria "música de câmara".

Foi, durante 17 anos, "spalla" da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e, por dez anos, diretor musical da Orquestra de Câmara Villa-Lobos, o que traz a Ensemble Orchestral do Brasil uma vasta experiência em ocupar cargos de liderança. Além de suas atuações como regente apresentou-se à frente de algumas das mais importantes orquestras brasileiras, destacando-se a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Brasília, Orquestra Sinfônica Nacional do Rio de Janeiro e Orquestra Sinfônica de Curitiba.