Festival Strings Lucerne

O Festival Strings Lucerne é uma famosa orquestra de cordas, que foi fundada em 1956 pelos violinistas Wolfgang Schneiderhand e Rudolf Baumgartner por ocasião de uma apresentação dos dois solistas no Festival Internacional de Lucerne. Foi regido por Rudolf Baumgartner durante os 40 anos seguintes, até 1996, quando decidiu retirar-se.

Junto com regentes como Paul Sacher e Edmond de Stoutz, Rudolf Baumgartner e o Festival Strings Lucerne se empenharam em desenvolver o interesse pela música de câmara na Suíça. Numerosas pesquisas e descobertas de várias obras esquecidas das épocas barroca e clássica influenciaram muito a interpretação atual de todo o repertório musical.

O Festival Strings Lucerne faz parte do Conservatório de Música de Lucerne e é também a orquestra do famoso Festival Internacional de Lucerne. Em 1960, o conjunto foi oficialmente incorporado à municipalidade de Lucerne e, em 1986, foi fundada a Fundação Festival Strings Lucerne em colaboração com a municipalidade e o cantão de Lucerne.

Além dessas funções, o conjunto é regularmente convidado nos palcos e eventos principais do mundo inteiro, apresentando-se com freqüência nos Festivais de Salzburgo, Praga, Edinburgo, Helsínki, Ascona, Berlim, Dresden, Gstaad, Montreux, Prades, Paris, Stresa e Evian. As tournées levaram os músicos para todos os países europeus, EUA, México, Argentina, Brasil, Japão, Taiwan, Índia, Oriente Médio, África do Sul e Rodésia, entre outros.

Nesses 45 anos de existência, o Festival Strings Lucerne apresentou-se com os principais artistas da nossa época tais como Pablo Casals, Janos Starker, Christian Ferras, Zino Francescatti, Arthur Grumiaux, Pinchas Zukermann, Clara Haskil, Wilhelm Kempff, David Oistrakh, Yehudi Menuhin, Dietrich Fischer-Dieskau, Gidon Kremer, Anne-Sophie Mutter, Frank Peter Zimmermann, James Galway.

O conjunto atua como orquestra de cordas (também com cravo) ou como orquestra mista com sopros. O amplo repertório abrange desde a época barroca até a atual com mais de 60 estréias mundiais de composições de Frank Martin, Bohuslav Martinu, Sandor Veress, Joonas Kokkonen, Krzysztof Pendercki e Iannis Xenakis, entre outros.

Desde a temporada 1998/99, Achim Fiedler foi nomeado maestro titular do conjunto.