Orquestra Filarmônica de Dresden

A história da Orquestra Filarmônica de Dresden remonta ao ano de 1870, quando foi formalmente inaugurada, em 29 de novembro, a primeira Sala de Concertos da cidade, a Dresden Kulturpalast.

A ocasião representa um marco na vida cultural de Dresden, que, até então, contava apenas com a Staatskapelle Dresden, que, embora muito boa, era reservada à nobreza. Com a instituição da nova sala e de sua orquestra, a atividade musical se distanciava da aristocracia local, passando a oferecer concertos para o público em geral.

As origens da Orquestra Filarmônica de Dresden remontam ao ano de 1870, quando da inauguração da primeira sala de concertos na cidade, acontecimento que permitiria ao público comum ter acesso à música chamada erudita, até então restrita aos salões da aristocracia. A partir de 1885, o conjunto passou a apresentar-se regularmente em Dresden e em 1915 recebeu a designação que conserva até hoje.

Os oitenta concertos anuais que a Orquestra apresenta no Kulturpalast de Dresden fizeram dela o grande destaque da vida cultural da cidade e vêm atraindo milhares e milhares de moradores e visitantes àquela que é conhecida como a Florença do Elba.

Além das temporadas anuais de concertos em sua cidade-sede, a Filarmônica de Dresden vem-se apresentando regularmente em algumas das mais importantes salas de música do mundo, durante as turnês têm levado o conjunto a inúmeras cidades alemãs, a vários países da Europa, a Israel, a países da América do Sul e a diversas cidades dos Estados Unidos.

A Orquestra já recebeu em seu pódio, como regentes convidados, grandes compositores – como Brahms, Tchaikovsky, Dvorák e Richard Strauss, que regeram o conjunto em execuções de obras de sua autoria – e também alguns dos mais renomados maestros de todos os tempos, como Hans von Bülow, Anton Rubinstein, Bruno Walter, Fritz Busch, Arthur Nikisch, Hermann Scherchen, Erich Kleiber, Willem Mengelberg, Otto Klemperer, Karl Ancerl, Vaclav Neumann, Seiji Ozawa e Klaus Tennstedt.

Quanto aos solistas que já colaboraram com a orquestra, destacam-se, dentre outros, Emil Gilels, Wilhelm Kempff, Elly Ney, Gidon Kremer, Ruggiero Ricci, Henryk Szeryng, Pierre Fournier, Mstislav Rostropovitch, Aurèle Nicolet, Maurice André, Bruno Leonardo Gelber, Rudolf Buchbinder, Frank Peter Zimmermann, Heinrich Schiff, Mischa Maisky e Christian Zacharias.

Dentre os músicos que já ocuparam a posição de Diretor Musical da Filarmônica de Dresden é impossível não lembrar os nomes de Paul van Kempen, Carl Schuricht, Heinz Bongartz, Horst Foerster, Kurt Masur, Günther Herbig, Herbert Kegel, Jörg-Peter Weigle e Michel Plasson, que liderou o conjunto de 1994 a 1999. Rafael Frühbeck de Burgos é Regente Titular e Diretor Artístico da Orquestra Filarmônica de Dresden desde a Temporada 2004/2005.

Setembro de 2005.