Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil de Campos

Fundada em março de 1998, a Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil de Campos tem demonstrado, a cada concerto, o seu crescimento musical, técnico e artístico, o que pode ser atestado por meio da ampla cobertura que recebe dos meios de comunicação, expressando inúmeros comentários positivos e elogiosos por parte da crítica especializada.

Desde sua fundação, este grupo sinfônico é mantido pelo Centro Cultura Musical de Campos e reúne, atualmente, cerca de 85 alunos bolsistas, originados da camada mais pobre da população, integrando o corpo sinfônico e usufruindo do propósito de aprender música através de um meio gostoso e eficaz: a música em grupo.

Outra grande importância do trabalho se deve à utilização de um veículo imprescindível e comprovadamente eficiente na formação de crianças e jovens: a atividade musical, assim como todas as artes, tem o poder de formar e transformar positivamente o ser humano.

Apesar do seu pouco tempo de existência, a orquestra vem sendo considerada uma iniciativa inédita, não só no Estado do Rio de Janeiro, mas no Brasil e na América do Sul, sendo a primeira orquestra a fazer parte do projeto “Ação Social pela Música”, idealizado pelo grande maestro brasileiro David Machado e sendo dirigido atualmente pela sua viúva Sra. Fiorella Solares.

O Sistema Mundial de Orquestras Infantis e Juvenis, com sede na Venezuela, tem privilegiado o grupo, mantendo um intercâmbio entre professores e alunos, o que denota o reconhecimento internacional de que goza o projeto.

A orquestra mantém uma extensa temporada anual de concertos, apresentando-se em sua maioria no Teatro Municipal Trianon – Campos/RJ, bem como em cidades da região Norte-Fluminense, além de realizar anualmente uma turnê por diversas regiões brasileiras, dentre as quais podemos citar as inúmeras Salas de Concerto e Teatros nos quais se apresentou, tais como: Palácio das Laranjeiras/Teatro Carlos Gomes/ Pontifícia Universidade Católica/ Museu do Ingá (Rio de Janeiro), Parque de Água Branca/ Igreja Matriz em Tatuí (São Paulo), Teatro do Sesi (Contagem-MG), Cine Teatro Pró-Música (Juiz de Fora-MG), Centro de Convenções do Pantanal/ Câmara Municipal de Cuiabá (Cuiabá-MT), Teatro Municipal de Dourados/ Teatro Municipal de São Gabriel do Oeste (Mato Grosso do Sul)/ Teatro Municipal de Macaé (Macaé-RJ) e Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro).

Do ponto de vista social, a orquestra também vem cumprindo o seu papel, proporcionando uma ocupação saudável e construtiva às crianças e jovens que, de outra forma, não teriam a oportunidade de despertar e exercitar talentos e potencialidades, considerando, ainda, a formação de mão-de-obra visando o mercado de trabalho e a ocupação útil e socializada do tempo ocioso. Estamos certos de que esses jovens estarão aptos a exercer, com dignidade e consciência, a sua cidadania.

Julho de 2004.