Orquestra de Câmara Solistas de Londrina

Música que alimenta

A música de orquestra destila as sutilezas de cada instrumento transformando-se numa grande celebração. Esta sonoridade alimenta o espírito através do arrebatamento da arte que talvez, como nenhuma outra expressão, aproxima a humanidade do conceito transcendente da criação. Assim, através da música, é como se Criador e criatura se encontrassem numa instância de lúdicas semelhanças. Cada um, realizando a beleza a seu modo.

A idéia cabe no histórico da Orquestra de Câmara Solistas de Londrina que, desde 2001, realiza os Concertos nas Igrejas para formar novos públicos e também para mostrar que o banquete de sonoridades alimenta corações e mentes. Afinal, quem não se extasia ao ouvir a música dos mestres num espaço destinado à elevação do espírito? Então, que os acordes da orquestra sejam também a fresta mágica que aprofunda a reflexão.

Mas a trajetória do grupo atravessa outros espaços, reproduzindo a expressão de treze refinados instrumentistas. Não por acaso, a orquestra que em 2008 completará 10 anos, tem uma história singular que culmina agora com o lançamento de seu segundo CD: Música dos Séculos, reunindo obras de Mozart, Benjamin Britten e as faixas verde-amarelas dos compositores Alberto Nepomuceno, Cláudio Santoro, Alexandre Levy e Ricardo Tacuchian. O disco é um passeio de cordas em peças para ouvidos sensíveis.

Antes de gravar o álbum que assinala a sua maturidade, a orquestra cumpriu uma trajetória intensa reunindo o trabalho e o talento dos instrumentistas dirigidos pelo spalla Evgueni Ratchev. Esta história merece ser contada pontuando uma trilha de musicalidade.

Encontro de talentos

Criada em 1998, a orquestra acompanhou solistas de prestígio internacional, como o oboísta Alex Klein, o violoncelista Antonio Lauro Del Claro, os violonistas Yamandú Costa e Fábio Zannon, os violinistas Eva Szekely, Evgenia-Maria Popova, Tânia Camargo Guarnieri e Alessandro Borgomanero, o violista Jairo Chaves, o pianista Pablo Rossi e o Duo Henosis, entre outros talentos.

Ao repertório tradicional da música erudita, a orquestra somou a expressão verde-amarela. Em 2001, o grupo gravou seu primeiro CD: Imagens Brasileiras, que seria lançado em 2002, reunindo composições de Carlos Gomes, Alberto Nepomuceno, Villa-Lobos, Guerra-Peixe e Ernani Aguiar.

Em 2002 a orquestra se apresentou em Curitiba, Maringá, Foz do Iguaçu e Londrina, iniciando o Projeto Concertos do Paraná, que continuaria até 2005.
Os concertos do lançamento nacional do CD Imagens Brasileiras contemplaram públicos diversificados. Entre as apresentações inclui-se a passagem pelo Teatro Guaíra, em Curitiba. A turnê assinala a trajetória da gravação que abriria ao grupo as portas do reconhecimento nacional. Afinal, foi a excelente interpretação da Sonata de Cordas de Carlos Gomes, gravada no CD Imagens Brasileiras, que proporcionou à orquestra outro momento importante: ela foi escolhida pelo projeto Família Imperial – Álbum de Retratos, desenvolvido pelo Arquivo Histórico do Museu Imperial, para abrir o CD-ROM com a obra do compositor brasileiro. O CD ainda daria à orquestra vários prêmios: o Tim de Música Brasileira (antigo Prêmio Sharp) de Melhor CD Erudito e Melhor Projeto Visual e o Saul Trumpet de Melhor CD Erudito . O grupo também recebeu em 2004 o Prêmio Talento do Paraná.

Sonoridade que cruza fronteiras

Em 2003, a orquestra cruzou as fronteiras quando produtores franceses a convidaram para gravar a trilha sonora do desenho animado Marsupilami. A viagem sonora continuaria com o CD Brasilianas - versão internacional do álbum Imagens Brasileiras - que chegaria à Áustria, Alemanha e França em 2004, ao mesmo tempo em que o grupo seria escolhido pela Funarte para receber um prêmio do Programa de Apoio às Orquestras. Também em 2004, a orquestra gravou o CD Música dos Séculos, que chega agora ao público trazendo um sofisticado passeio musical.

Em 2005, a série Concertos nas Igrejas e Teatros de Londrina ganharia o apoio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura – PROMIC. Também neste ano foi gravado o CD Retratos, com obras de Guerra-Peixe, que deverá ser lançado em 2007, dando início a uma série de cinco discos dedicados à música brasileira.

Arte no cotidiano

O reconhecimento em nível nacional colocaria a orquestra outra vez no centro das atenções quando seu Quinteto de Cordas foi selecionado, em 2006, como vencedor do edital Concertos Didáticos nas Escolas, com patrocínio da Petrobrás e apoio da Associação Cultural da Funarte. As apresentações se estenderam a escolas públicas de Londrina, Cambé, Ibiporã, Porecatu e Rolândia. Em 2007, as séries Concertos nas Igrejas e Música nos Teatros de Londrina integram a programação da Rede Alegria, com patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura – PROMIC. As apresentações colocam mais arte no cotidiano da cidade.

10 anos de boa música

O CD Música dos Séculos, que chega agora ao público, antecede as comemorações dos anos 10 anos da orquestra em 2008. Para marcar a data, o grupo prepara o primeiro disco da série Retratos Brasileiros, reunindo composições de Francisco Mignone, Edino Krieger, Radamés Gnatalli e Ernani Aguiar, além de outros nomes nacionais. Também estão previstas temporadas com todos os solistas que vão celebrar uma década de música que alimenta corações e mentes. Uma celebração feita de cordas, talento e sensibilidade sem fronteiras.