Orquestra Sinfônica Nacional da Rádio da Polônia

Saudada como a principal orquestra polonesa, a Orquestra Sinfônica Nacional da Rádio da Polônia desempenha o papel de embaixador cultural, representando a Polônia no cenário artístico internacional (Viena em 2001, Europalia em 2001, Bruxelas, Madri e Dusseldorf em 2002, Roma em 2003 para celebrar o 70º. aniversário de Mikolai H. Gorecki, entre outros).

A orquestra teve a oportunidade única de trabalhar com provavelmente os mais importantes compositores da segunda metade do século XX: Lutoslawski, Penderecki e Gorecki. As primeiras apresentações de suas obras foram muitas vezes executadas pela Orquestra Sinfônica Nacional da Rádio da Polônia. Essa experiência conferiu à orquestra uma importância única entre outras orquestras do mundo.

A orquestra foi fundada em 1935 em Varsóvia pelo regente polonês Grzegorz Fitelberg, trabalhando sob sua direção até o início da Segunda Guerra Mundial. Em março de 1945, o célebre regente polonês Witold Rowicki fez a orquestra renascer em Katowice. Em 1947, Grzegorz Fitelberg voltou à Polônia e tornou-se o diretor artístico. Após a sua morte em 1953, foi dirigida por alguns dos melhores regentes poloneses, inclusive Jan Krenz (1953-1968) e Kazimierz Kord (1969-1973). Em 1983, Antoni Wit tornou-se diretor artístico e ocupou o cargo por 17 anos. Joanna Wnuk-Nazarowa foi nomeada diretora-gerente em setembro de 2000 e Gabriel Chmura tornou-se diretor musical da orquestra no início da temporada 2001/2002.

Gravou mais de 160 CDs para vários selos internacionais (Decca, EMI, Phillips, etc.) e inúmeras gravações de arquivo para a Rádio Polonesa. Para o selo Naxos, gravou a obra completa de Penderecki e Lutoslawski.

Os Cinco Concertos para Piano, de Prokofiev, sob a batuta de Antoni Wit, com o solista Kun Woo Paik, para o selo Naxos, receberam o Diapason d"Or e o Grand Prix du Disque de la Nouvelle Académie em 1992. A Sinfonia "Turangalia" de Olivier Messiaen, sob regência de Antoni Wit para o selo Naxos, recebeu o Cannes Classical Award de 2002.

Depois que Gabriel Chmura tornou-se o diretor musical, a orquestra firmou um contrato com a Chandos Records. As primeiras gravações serão lançadas no outono de 2003.

Renomados regentes e solistas apresentaram-se com ela em seu próprio País e no exterior. Entre eles estão: Martha Argerich, Leonard Bernstein, Placido Domingo, Pierre Fournier, Nicolai Gedda, Barbara Hendricks, Julius Katchen, Wilheim Kempff, Pawel Klecki, Kirill Kondrashin, Marguerite Long, Witold Lutoslawski, Charles Mackerras, Neville Marriner, Kurt Masur, Garrick Ohlsson, Krzysztof Penderecki, Maurizio Pollini, Herman Prey, Ruggiero Ricci, Mstislav Rostropovich, Artur Rubinstein, Thomas Schippers, Jerzy Semkow, Stanislaw Skrowaczewski, Isaac Stern, Henryk Szeryng e Krystian Zimerman.

A Orquestra Sinfônica Nacional da Rádio da Polônia já fez turnês pela maioria dos países europeus, bem como pelo Japão, Hong Kong, China, Austrália, Nova Zelândia, Coréia do Sul, Taiwan, EUA, Canadá e Brasil, recebendo elogios entusiasmados dos críticos e o aplauso de platéias encantadas. A orquestra regularmente visita o Reino Unido (IMG Artists), a Alemanha e a Áustria (H.U.Schmid, Hannover) e o Japão. Em setembro de 2003, apresentou-se nos festivais de outono de Praga e Varsóvia; em novembro de 2003, apresentou-se em Roma, Itália.

As turnês em 2004 incluem: Paris (realizada em maio); América do Sul (Argentina, Brasil), em junho; França, inclusive o Festival de Berlioz, em agosto; Alemanha, em novembro; Japão, em dezembro; e pelo Reino Unido.