Separando as Faixas

Após remover os estalos, as suas músicas estarão prontas para serem gravadas em CD. Só não se esqueça de salvar o seu trabalho. Antes de passar as músicas para CD teremos de separá-las em vários arquivos Wav, um para cada música, pois afinal por enquanto todas as músicas estão gravadas em um único arquivo. Esse processo pode ser feito através do próprio Sound Forge ou então através de um shareware muito interessante chamado LP Ripper (http://www.cfbsoftware.com.au).

O LP Ripper analisa o seu arquivo Wav e procura pelos espaços em branco normalmente existente entre as músicas, marcando automaticamente onde começa e onde termina cada faixa. Ao usar esse programa, após a análise, é bom conferir para ver se ele marcou corretamente o início e o final de cada faixa. Use a opção Trim Tracks do menu Edit. Com essa função você pode fazer o ajuste fino, indicando exatamente onde começa e onde termina cada faixa. O LP Ripper só não consegue analisar muito bem discos onde as faixas são contínuas, isto é, não há o famoso espaço em branco entre elas. Nesse caso, a dica é você entrar manualmente o número de faixas e o tempo de cada uma delas (esse tempo está escrito nos rótulos do disco), fazendo em seguida o ajuste fino com a opção Trim Tracks.

 

Figura 14: LP Ripper.

 

Se você for usar o Sound Forge você deverá marcar cada faixa como sendo uma região. Para isso, você deve selecionar o início e o fim de cada faixa e marcar a região. O início da faixa deve ser marcado de modo que não sobre nenhum "espaço em branco" antes da música, enquanto o final da faixa deve ser marcado de modo que você não corte o efeito "fade" (que é aquele efeito da música ir abaixando o volume até chegar a zero no final de cada faixa) nem tampouco deixe espaço em branco após o final da faixa. Por isso, o ideal é você ir escutando sempre na medida em que vai marcando. Com o tempo você pegará a prática necessária para esse processo. As regiões são marcadas através do menu Special opção Region List, selecionando Add do menu que aparecerá. Depois de marcar, confira se o início e o final foram marcados nos locais corretos. Use a ferramenta de zoom para conferir isso e ajuste a região (movendo o marcador de região para a esquerda ou direita) caso você precise fazer um ajuste fino na marcação.

 

Figura 15: Usando o Sound Forge para separar as faixas.

 

Após as regiões estarem marcadas, o próprio Sound Forge as transforma em arquivos Wav independentes, através da opção Extract Regions no menu Tool.

Com as faixas do seu disco de vinil gravado em arquivos Wav diferentes, você poderá gravar o seu CD (ou então converter os arquivos para o formato MP3, caso deseje – o próprio Sound Forge faz isso, bastando abrir o arquivo e salvá-lo usando a opção Save As alterando o tipo de arquivo para MP3).

Se você usa um programa como o Easy CD Creator, basta iniciar um novo projeto de CD de áudio (CD-DA) e arrastar para o projeto os arquivos Wav que representam as faixas de seu disco de vinil, não se esquecendo de colocar os arquivos na mesma ordem que eles foram gravados no disco original.

Uma dica importante na hora da gravação: você tem duas opções para gravar CDs de áudio, Track-at-once e Disc-at-once. A primeira opção deve ser usada caso você queira um espaço de 2 segundos em branco entre cada faixa. Já a segunda opção elimina esse espaço e é especialmente recomendado para discos onde suas músicas originalmente eram contínuas e você apenas separou os arquivos para criar um sistema de indexação (isto é, permitir que você pule diretamente para uma faixa do disco e não criar um disco com uma única faixa contínua). Não se esqueça de mandar fechar o disco, ou o seu CD não conseguirá ser lido por CD players convencionais.

>

 

Figura 16: Escolhendo o método de gravação do CD.