Reyer - (1823-1909)

Ernest-Louis Éttiene Rey Reyer nasceu em Marselha (França), em 1.º de dezembro de 1823. Autodidata, com exceção de alguns estudos breves num conservatório privado de Marselha, era funcionário na Argélia quando compôs a sua primeira obra notável, uma missa pela chegada do duque de Aumale em Argel. Estreou-se em público, em 1850, com uma ode sinfônica, Le sélam, a que Berlioz foi uma referência muito favorável. Foi eleito membro do Instituto em 1876. Reyer morreu em Lavandou (França), em 15 de janeiro de 1909. A sua obra-prima, a ópera Sigurd, criada em 1844, explora com habilidade a lenda dos Nibelungos, alguns anos anos do aparecimento da tetralogia wagneriana: nesta obra, são evidentes as influências de Berlioz, e sobretudo, de Wagner, especialmente na técnica do leitmotiv. Além de 6 óperas (entre as quais, Salammbô), escreveu obras religiosas, melodias e excelentes artigos de crítica publicados com o título de Notes de musique (1875).