Roman - (1694-1758)

Johann Helmich Roman nasceu em Estocolmo (Suécia), em 26 de outubro de 1694. Era descendente de um tal Johannes Raumanus, nascido em Raumo, na Finlândia, em c.1650, e que se fixou na a Suécia, como professor em Uppsala e pastor em Estocolmo. Estreou-se como violinista aos sete anos, e aos dezessete era violinista e oboísta solista da orquestra da corte, dirigida por Andreas Düben. Tendo, entratanto, concluído os estudos gerais, conhecia perfeitamente o francês, o inglês, o italiano, o alemão, o latim e o grego. Em 1714, foi enviado, a expensa da princesa (e futura rainha) Ulrika Eleonora, a Londres, onde se tornou aluno de Pepusch e de Ariosto, conheceu Händel e Geminiani e tocou na orquestra do Tetaro do Rei.

Em 1717, o duque de Newcastle conseguiu obter os serviços do virtuoso sueco, mas este foi chamado a Estocolmo, em 1720, para o cargo de assistente e diretor de orquestra e depois (sucedendo a três gerações de Düben), diretor de música da corte.Entre 1735 e 1737, fez uma longa viagem (para se curar, em Ischia, de uma infecção auditiva e para fazer a música nova para Estocolmo): Londres, Paris, Roma, Nápoles, Ischia, Bolonha, Veneza, Viena, Munique, Berlim. A sua falta de saúde e o desgosto pela morte de sua segunda mulher levaram-no a retirar-se, em 1745, para a sua propriedade em Haraldsmala, próximo de Kalmar (Suécia), onde veio a falecer em 19 de outubro de 1758.

Considerado o "pai da música sueca", desenvolveu consideravelmente os recursos locais, criando coros e orquestras e formando alunos que continuaram a sua obra. Traduziu para o sueco inúmeras obras teóricas e vocais de músicos estrangeiros, compôs as primeiras obras importantes sobre textos suecos (em especial, uma grande missa sueca para solistas, coros e orquestra). Finalmente, organizou com um aluno seu, Per Brandt, os primeiros concertos públicos na Suécia (Páscoa de 1731, no grande salão da casa da nobreza: foi interpretada a Brockespassion, de Händel).

Escreveu uma missa sueca, cerca de 100 motetos e salmos, cantatas profanas, 21 sinfonias, 3 sinfonias da chiesa, 11 aberturas e suítes (entre as quais, a encantadora Droottningholmmusik), 5 concertos para violino, 12 sonatas para flauta, baixo e cravo, 12 suítes e 12 sonatas para cravo, numerosas peças para violino (entre as quais figuram os Assagi para violino solo).